Compartilhe

Primeiro trimestre de gravidez é o mais importante

 

Quando a mulher confirma que está esperando um filho, ela deve fazer várias mudanças, pois o primeiro trimestre de gravidez é o mais delicado de todo esse período.
Trata-se da fase em que ocorre a formação do feto e todos os cuidados são necessários para deixar que a natureza siga seu curso dentro do que é desejado pela família.
E ela tem o papel de dar o apoio que a futura mamãe precisa nesse momento tão especial.
Veja o que acontece de mais importante no começo da gestação e o que a mulher deve fazer para garantir a saúde do filho.

A descoberta da gravidez traz mudanças para futura mãe

É no primeiro trimestre de gravidez que ocorre toda a formação do feto e a partir daí o desenvolvimento dele segue até o dia do parto. Nessa fase, surgem os primeiros sintomas, a necessidade de fazer vários exames e de eliminar certos hábitos que prejudicam a saúde do futuro bebê. Veja o que fazer nesse período.
Os sintomas de gravidez começam a surgir após a quarta semana e diante de qualquer dúvida, a mulher deve fazer o teste para confirmar sua suspeita. Se o resultado der positivo, ela precisa agendar uma consulta com o obstetra.
O sinal mais óbvio é o atraso da menstruação, mas cólica abdominal, dor nas mamas e aumento do seio são mais indícios de que o filho pode estar se desenvolvendo no ventre. O corpo, então, passará por muitas mudanças.
É o médico quem vai dizer quando pode ter começado a gravidez, com base no dia da última menstruação. O pré-natal começa nessa primeira consulta, com o obstetra respondendo as primeiras perguntas e pedindo alguns exames.
Veja quais são os principais:

 

  • Fezes
  • Urina
  • Tipagem sanguínea
  • Rubéola
  • Glicemia
  • Hepatites virais
  • Hemograma completo
  • Toxoplasmose
  • Sífilis
  • HIV.

É por meio da ultrassonografia transvaginal, feita a partir da sexta semana de gestação, que o médico sabe de forma precisa a idade do futuro bebê e a data do parto. Ele também começa a ouvir os batimentos cardíacos fetais. Tal exame já revela se o feto está no útero ou nas trompas, se há gravidez de gêmeos e, em caso positivo, se estão ou não na mesma placenta.
No começo da gravidez, o organismo feminino já começa a passar por inúmeras mudanças, devido à elevada produção de hormônios. Todas as alterações devem ser observadas com mais atenção ainda no caso de mães que são portadoras de diabetes, hipertensão arterial e outras doenças crônicas. Se esse for o seu caso, fique atenta.

A formação acontece no primeiro trimestre da gravidez

O tamanho do futuro bebê quando a gestação está na sexta semana varia de 1,5 mm a 3,0 mm. É a partir daí que ele vai ser formado e por causa disso, todo os cuidados são necessários para que a evolução ocorra sem nenhum problema.
O primeiro trimestre é o mais delicado porque nesse período há maior chance de ocorrerem não apenas as más-formações, como também os abortos espontâneos. A alimentação da mãe é fundamental para a gravidez de sucesso.
Um dos primeiros passos nessa direção, é começar a tomar ácido fólico. Ele é importante porque nesse período ocorre o fechamento do tubo neural, cuja estrutura dará origem à construção da coluna vertebral e do sistema nervoso.
Todos os demais órgãos se formam no trimestre inicial.
Por isso, o médico vai logo dizendo quais vícios devem ser eliminados imediatamente. Droga, álcool e cigarro, nunca podem fazer parte da rotina da gestante.
Frutos do mar, peixes e carnes crus ou pouco cozidos, bem como queijos não pasteurizados, devem ser evitados. Só para lembrar, queijo não pasteurizado é aquele feito com leite cru, ou seja, que não passou pelo processo de industrialização para eliminar bactérias que causam doenças ou a deterioração mais rápida dessa bebida.
A carnes cruas e malpassadas também devem ser riscadas do cardápio. Elas podem transmitir toxoplasmose, doença vinda de certo parasita que causa uma infecção que pode levar a má formação do feto. Isso pode ser evitado ao expor os alimentos, incluindo o ovos, a altas temperaturas. As verduras e os legumes devem ser muito bem higienizados, caso sejam servidos crus para comer como salada.
Todos esses cuidados são primordiais não apenas para a sadia formação do feto, mas também durante toda a gravidez.

O primeiro trimestre de gravidez já apresenta sintomas

É bem raro encontrar alguma mulher que não sinta nenhum sintoma após a sexta semana de gestação. Quem ainda não teve enjoo, vai ter de lidar com ele. Cansaço, tontura e frequente vontade de urinar são sensações que podem passar a fazer parte do dia a dia. Do ponto de vista emocional, há mudança de humor e o surgimento alguns de medos. Tudo isso é bastante comum.
O bombardeio de hormônios continua e eles também trazem mudanças para a pele. Mais oleosa, ela passa a ter acnes, espinhas e até manchas. Usar sabonete neutro e limpar a pele corretamente, utilizar protetor solar, são ações que minimizam tais mudanças. A boa notícia, é que no segundo trimestre, o nível do hormônio, a progesterona, diminui e a pele começa a voltar ao seu estado normal. Basta se cuidar e ter paciência.
O feto já está todo formado quando a gestação chega ao final do primeiro trimestre. É tudo muito rápido e perfeito, não é mesmo? Tanta mudança acontecendo dentro de você, e ainda nem dá para sentir o futuro bebê na barriga. Ele tem no máximo 3 centímetros, mais ou menos o tamanho de uma azeitona. Daí em diante, com a formação completa, o feto só precisa crescer normalmente.
E para isso, o seu estilo de vida será muito importante. Lembre-se de que tudo o que você ingere e sente, acaba passando para seu filho. Durante a gestação, a mulher possui dentro de si alguém que deve ser preservado das dificuldades do ambiente externo e, ao mesmo tempo, estimulado a se desenvolver ao máximo.

A saúde bucal deve estar ainda mais em dia na gravidez

Em nenhum momento da gravidez, a mulher deve tomar remédios sem orientação médica. A atitude correta é conversar com o médico e ver o que ele receita para amenizar os sintomas da mãe e garantir a saúde do futuro bebê.
Ir ao dentista é mais um cuidado muito importante a ser tomado nesse período. Alguns problemas de saúde bucal prejudicam o desenvolvimento do bebê e uma consulta a cada três meses é uma boa frequência para ver se está tudo bem.
A alteração hormonal eleva a chance de ter cáries e as bactérias podem ir para o sistema circulatório e fazer mal para o feto. Por isso, todo o cuidado é necessário nesse momento da vida.
Muita gente acha que as gestantes não podem tomar anestesia, mas isso é só meia verdade, porque existe o tipo de anestesia mais correta para ser administrada em uma gestante; o seu obstetra pode orientar o cirurgião dentista. Procedimentos eletivos, ou seja, sem urgência, devem ser deixados para depois do parto.
O final do primeiro trimestre de gravidez (12ª semana), já traz certo alívio em relação aos riscos existentes. Esse é o período mais crítico. Quando a formação do feto está completa, resta apenas acompanhar seu crescimento. Nesse momento, ele mede aproximadamente seis centímetros.
A mãe só vai começar a sentir seu filho mexer após a 20ª semana, mas esse é assunto para o próximo texto. Até lá.

Fale com o CEDLAB